Capítulo 11 – Sinestesia ou Cinestesia

Tempo de leitura: 4 minutos

Desde os primórdios tempos, o homem consegue fazer a leitura dos pensamentos e atitudes das pessoas, através do seu comportamento e tudo isso, antecede a linguagem oral.

O corpo é capaz de te dar sinais que antecedem as palavras, sendo essa a diferença marcante entre o ser humano e os animais, onde o primeiro aprende a sua capacidade de comunicar-se através das palavras, sons e gestos, deixando os seus instintos básicos adormecidos e sua conexão com o corpo também, enquanto os animais aprimoram cada vez mais os seus sentidos, por serem fundamentais para a sua sobrevivência.

Os sistemas visual, auditivo e sinestésico são os sistemas representacionais básicos usados nas culturas ocidentais. Nosso comportamento é gerado a partir de uma mistura de experiências sensoriais internas e externas.

Conforme o momento, prestamos atenção a um determinado segmento da nossa experiência. Enquanto lê esse artigo, você está concentrado na página e provavelmente não teve consciência da sensação em seu pé esquerdo… até que eu o mencionasse, porém, algumas situações podem atrair minha atenção como uma dor súbita, um cheiro de queimado, ou o cheiro de comida se eu estiver com fome*.

Alencar entrou na sala e ainda não tinha me sentado quando disse:
─ Hoje não saio da sua sala sem entender o que é sinestésico ou cinestésico?
─ Nossa, eu não sabia que isso tinha sido gravado com tanta veemência em sua mente. Eu achei um artigo muito interessante e quero dividir com você, ele diz o seguinte:

─ A palavra Cinestésico aparece em dois lugares: nos estilos de aprendizado e nas Inteligências Múltiplas. Concluiu-se através de pesquisas, que o ESTILO DE APRENDIZADO seria nomeado como SINESTÉSICO, pelos seguintes motivos:

a) por associar o aprender com a exploração de todos os órgãos dos sentidos, principalmente o tato:
b) por representar o aprender fazendo, com a “mão na massa”;
c) por estar vinculado com o significado, ou seja, o conceito aprendido estar inserido em um contexto, em uma realidade que nos rodeia e que exploramos através dos sentidos.

E CINESTÉSICO da Inteligência Cinestésico – corporal, estaria associado a Cinética, a parte da física que estuda o movimento, que está muito associada ao corpo e a habilidade manual.

Na realidade os dois termos conversam entre si, pois ambos têm em comum a AÇÃO.  Isso significa que você é capaz de ter sensações em seu corpo que você desconhece e isso, pode vir através de uma pessoa encarnada, desencarnada ou até de um ambiente.

Você disse que quando estava no centro da Da. Elvira teve uma série de sensações no corpo não foi?
─ Tive sim, mas o que isso tem a ver com aprendizado?

─ Isso tem tudo a ver com aprendizado, porque quanto mais você se conhece, mais você é capaz de identificar se as energias próximas, são suas ou não. Isso aprendido, você terá cada dia mais condições de explorar a realidade que o rodeia através dos seus sentidos, daquilo que você sente. É só ficar atento, porque corpo e mente caminham juntos. Ex: calor, frio, hiperidrose nas mãos, nos pés, no rosto ou nas axilas, tremor e assim por diante.

─ O que vêm a ser hiperidrose?
─ É o suor excessivo Alencar.
─ Ah, agora entendi. Tenho sentido tantas coisas esquisitas e diferentes lá no centro, que nem sei contar muito bem ainda, o que se passa comigo. Mas agora, diante desse conhecimento, estarei mais atento com as minhas sensações. Preciso lhe falar que conversei novamente com minha esposa e ela me surpreendeu, disse que também foi procurar um psicólogo.

─ É mesmo? Fico muito feliz por vocês Alencar.
Parece que hoje não conseguirei contar, porque nossa conversa foi longa. Contarei na próxima semana, pode ser?
─ Claro que pode. Sua lição de casa é estar atento as suas sensações está certo.

Ele como sempre saiu apressado, mas sua postura corporal já havia mudado. Se antes andava cabisbaixo e sempre olhando para baixo, percebi que saiu de modo elegante e com confiança no amanhã.

Se você ainda não viu o primeiro episódio, clique aqui
Constatei também com minha vivência e experiência profissional, que quanto mais conhecemos as nossas sensações, maiores as nossas chances de nos blindarmos contra a negatividade. Você pode se sentir sózinho(a) para essa jornada e é por esse motivo, que caso necessite de ajuda profissional, poderá contar sempre comigo.

E ainda, caso você queira conhecer como ajudei o Alencar nesse processo de auto conhecimento, clique aqui

ou deixe o seu comentário abaixo, será um prazer respondê-lo(a). E não se esqueça que para receber as atualizações do blog, é só assinar a minha newsletter.

Para saber mais sobre a fonte de pesquisa, clique aqui
Continue acompanhando essa surpreendente trajetória! Te espero no próximo Artigo! Capítulo 12 – Reencontrando o Pai! – Até lá!!


Capítulo 11 – Sinestesia ou Cinestesia
5 (100%) 1 voto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Inscrever-se na newsletter!