Você sabe ajudar?

Tempo de leitura: 2 minutos

No meu trabalho, diariamente atendo pessoas que preocupadas e ansiosas em ajudar a todos, inconscientemente, acabam por prejudica-las e também, a si próprias. Isso ocorre porque algumas, não necessitam de ajuda e sim, de um grande chacoalhão, para despertarem para o mundo e romperem com as correntes que os mantêm presos a algum momento da vida.

Eu mesma, levei muito tempo para aprender essa lição. Não percebia o quanto era invasiva ao dar sugestões onde não era solicitada minha opinião ou mesmo, a insistir em oferecer ajuda a quem não tinha pedido ou se negasse a recebê-la. Por diversas vezes, interrompi uma pessoa de exercitar a humildade e pedir, mas hoje entendo que aquele era o meu melhor.

Com essa postura, por diversas vezes fui mal interpretada ou responsabilizada negativamente, pelos resultados alcançados não corresponderem as expectativas de quem era ajudado. E chegou o momento de parar, refletir e questionar melhor minhas atitudes. Decidi mudar ao concluir que ao ajudar, é importante questionar os seguintes pontos:

1) ESSA PESSOA REALMENTE PRECISA DE AJUDA?
Se você estiver “seguro” que a resposta é não, o melhor é não se envolver para não arrumar problemas ou até desenvolver uma discussão onde a sua presença é totalmente dispensável e correr o risco, de piorar a situação. Agora se depois de analisar, você estiver seguro que a resposta é “sim”, vá para a 2ª. pergunta.

2) ESSA PESSOA REALMENTE MERECE AJUDA?
Temos que observar esse item com muito carinho, porque infelizmente vejo muitas pessoas que merecem e, muitas pessoas que não merecem. As que não merecem são aquelas acomodadas, que querem que você se responsabilize pelas escolhas delas. Se concluir isso, faça a sua prece e peça para que Deus interceda a favor dessas pessoas, afim de que esse estado de coisas não perdure.
E ainda temos a terceira pergunta:

3) ESSA PESSOA QUER AJUDA?
Por mais que fiquemos indignados, há pessoas que não querem ajuda e precisam ser respeitadas pelas suas escolhas e nesse caso, os seus esforços não terão nem o impacto e nem o resultado necessário. Essas muitas vezes são vítimas de si próprias, porque insistem em permanecer no sofrimento e acabam por destruir, qualquer tentativa de ajuda.
Quando isso ocorrer, é melhor deixar que a vida siga seu curso e que o sofrimento as ensine o que você pretende com a sua ajuda, evitar. Algumas pessoas só aprendem dessa forma, sentindo na pele a necessidade da mudança.

É verdade, que a sensação de bem estar e paz que ganhamos ao ajudar alguém, é inigualável. Por esse motivo, jamais perca a oportunidade de ajudar, mas ao fazê-lo seja consciente e utilize esses filtros. Aprenda também a dar oportunidade, para que o outro peça ajuda e exercite a humildade.

Tenha claro que essa percepção que você tem dos fatos vêm dos sentidos, por isso: perceba, reflita e haja para que veja seus esforços refletidos na felicidade de quem receber a sua ajuda. Só assim você estará comprometido com o bem de uma forma consciente. Pense nisso!

:

Você sabe ajudar?
5 (100%) 1 voto

2 Comentários


  1. Sensacional Silvia!! Era exatamente o que acontecia comigo…. Hoje, pensando e agindo totalmente diferente, consigo me ver, consigo cuidar de mim e principalmente, fiz as pessoas acomodadas, a resolverem seus problemas e diminuir a “carga de responsabilidade” que eu achava que tinha com elas!! Adorei as tres perguntas, as respostas sao de grande valia pra quem enteder e responde-las com sinceridade!! Grande beijo! Gratidão sempre!!

    Responder

    1. Olá Luciana,

      Fico muito feliz em colaborar de alguma forma
      com a sua vida!

      Gratidão

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrever-se na newsletter!